Bolsonaro: Uma grave ameaça ao movimento sindical e popular!

160

País sob as garras da corrupção, classe trabalhadora insatisfeita, o povo clama por um salvador da pátria.

Um político calculista, vivendo há 30 anos na sombra do poder, encontra a solução. Fantasiado de Messias, ele prega a profecia como arma para arrebanhar seguidores e chegar ao poder. O falso moralista vira um fenômeno na mídia.

Fuzil e ódio são as principais bandeiras desse candidato que promete trazer de volta o fascismo que no passado assassinou milhões de pessoas nos campos de concentração e nos cárceres da ditadura.

O falso discurso moralista faz Bolsonaro parecer o candidato ideal. Mas esse novo disfarce é desmascarado pelo seu apelo ao machismo, à homofobia, ao racismo e ao fascismo que revela seus planos para pôr um fim ao ativismo que historicamente luta por igualdade e justiça social.

Lembra do nazismo? Pois é, ele está de volta e quer governar a nação brasileira com a sua ideologia diabólica. Para se transformar no líder mais poderoso do país ele manipula a imagem de Deus e da família em meio ao seu discurso de ódio.

Seu programa de governo promete acabar com a violência matando negros, pobres, prostitutas, homossexuais e proibindo a liberdade e as diferenças. Uma sede de poder que promete resolver o problema de segurança cometendo crimes.

Não se enganem, a alta cúpula de um governo Bolsonaro representa a volta de um passado que a história condena. Nem precisa dizer que os direitos humanos não têm vez no programa de um candidato que tem verdadeira idolatria pelo coronel Ustra, reconhecido torturador que aterrorizou ativistas do movimento estudantil, sindical e popular durante o regime militar no Brasil.

Vivemos um momento eleitoral que traz à tona os horrores do passado ao alimentar um monstro com milhões de votos no primeiro turno das eleições presidenciais. Uma grave ameaça à democracia, aos direitos humanos, aos movimentos de luta por moradia, terra, pão e liberdade.

Testemunhamos diariamente o candidato Jair Bolsonaro pregando o ódio contra mulheres, negros, homossexuais, ativistas e moradores da periferia. Um candidato que representa verdadeiro perigo à base da nossa democracia e desencadeia uma mentalidade de linchamento moral aos que se manifestam contra suas ideias.

Suas declarações sobre economia e direitos trabalhistas demostram um comportamento de fiel escudeiro do capitalismo. Não é à toa que ele já afirmou que “o trabalhador precisa escolher entre ter direitos ou ter emprego”, “Que mulher tem que ganhar menos porque engravida”. Além de declarar publicamente que vai acabar com o ativismo no Brasil.

A luta por emprego e a garantia dos nossos direitos não pode ser deixada de lado para dar vez a esse tipo de candidato. Por isso, o Senalba/RN convoca você a fazer do seu voto um instrumento de luta em defesa da democracia e justiça social, com a garantia do emprego e todos os direitos trabalhistas conquistados ao longo da história da classe trabalhadora.