Parabéns Mulheres: Vamos continuar lutando por direitos e igualdade!

82

O SINDSEGUR parabeniza todas as vigilantes neste 8 de março, Dia Internacional da Mulher, e convida para refletir sobre a necessidade de continuar lutando contra toda forma de exploração e opressão.

Igualdade e respeito às diferenças são bandeiras fundamentais do nosso sindicato. Por isso, a nossa entidade se engaja na luta das mulheres pela igualdade no mercado de trabalho, à vida e o combate a toda forma de violência. Especialmente neste momento em que o governo Bolsonaro impõe medidas econômicas e políticas que atacam os direitos sociais e trabalhistas da classe trabalhadora.

Brancas, pardas, pretas, amarelas. De todas as cores, de todas as crenças, de todas as profissões, de todos os lugares, as mulheres querem ser reconhecidas na sua condição humana e ter seus direitos assegurados.

Este 8 de março de 2019 será marcado por uma série de lutas dos movimentos de mulheres. Nesta sexta-feira elas voltam às ruas de todo o Brasil para celebrar o Dia Internacional da Mulher e lutar contra as ameaças de retrocessos impostos pelo atual governo federal.

Em Natal, a programação contará um Ato Unificado – “Mulheres contra Bolsonaro: Vivas por Marielle e em defesa da Democracia e da Previdência”. A concentração será a partir das 15h, no INSS da rua Apodi no centro da cidade, de onde seguirá em caminhada pela avenida Rio Branco até a Assembleia Legislativa do RN, na praça 7 de Setembro. O ato está sendo organizado por mulheres de 47 entidades, entre sindicatos, partidos políticos, associações e coletivos feministas.

Faz-se necessário informar que o Brasil ocupa o 5º lugar no ranking mundial em crimes de feminicídio. Somente em janeiro deste ano foram registrados mais de 100 casos de assassinatos pelo simples fato da vítima ser mulher.

A onda de violência contra as mulheres também tem sido uma prática do governo Bolsonaro, que ataca as mulheres de todas as formas, a exemplo da reforma da Previdência que aumenta de 55 para 62 anos a idade mínima para as mulheres se aposentarem.

Ao aumentar a idade mínima das mulheres, Bolsonaro ignora a dupla jornada. Pesquisas apontam que as mulheres trabalham, em média, 10,7 horas a mais do que os homens. Essa diferença aumenta ainda mais com a chegada dos filhos, pela ausência de vagas em creches públicas. A mulher também é mais explorada no trabalho, pois recebe 76% da renda dos homens. Ainda tem a discriminação contra as mulheres negras, que recebem 40% do que ganha um homem branco.

O SINDSEGUR acredita que a luta pela igualdade de gênero e contra o machismo é responsabilidade de toda a sociedade, mas parabeniza especialmente as mulheres que diariamente buscam a liberdade e o respeito à igualdade de direitos.

Eu sou aquela mulher
a quem o tempo muito ensinou.
Ensinou a amar a vida
e não desistir da luta,
recomeçar na derrota,
renunciar a palavras
e pensamentos negativos.
Acreditar nos valores humanos
e ser otimista. {Cora Coralina